Cirurgião ortopédico especializado na patologia da anca
do adulto jovem, artroscopia e cirurgia conservadora da anca, artroplastia primária e cirurgia de revisão de artroplastia da anca.

Esta página tem como objectivo prestar informações sobre a patologia da anca a doentes, familiares, médicos e outros profissionais de saúde.

Cirurgia

A experiência clínica associada à patologia da anca leva a concluir que esta atinge cada vez mais adultos jovens (tanto homens como mulheres). Apesar das manifestações iniciais, e muitas vezes após terem efectuado várias consultas e exames, a sintomatologia agrava-se ao longo dos anos.

Técnicas

Artroscopia da anca

As lesões articulares da anca podem ser tratadas com cirurgia artroscópica. Os procedimentos artroscópicos são realizados com pequenas incisões (± 1 cm), utilizando uma pequena câmara e instrumentos finos para vizualizar e tratar as lesões no interior da articulação.

 

 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


Artroscopia da anca - compartimento central

 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


Artroscopia da anca - compartimento periférico

 

Na artroscopia é possível reparar ou limpar as lesões do labrum e algumas lesões da cartilagem articular, remover corpos livres intra articulares e regularizar algumas alterações ósseas presentes no conflito femuro acetabular.

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


Lesão da cartilagem do acetábulo

 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


Lesão do labrum acetabular

 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


Osteoplastia femoral

 

Planeamento pré operatório para correcção de CAM Rx intra operatório na correcção de CAM Rx pós operatório


Actualmente a indicação mais frequente para a artroscopia da anca é o conflito femoro acetabular. É uma técnica pouco invasiva e segura mas apresenta uma curva de aprendizagem considerável

Artroplastia total da anca

É o tratamento de eleição para a coxartrose sintomática, incapacitante e que não apresenta melhorias com o tratamento não cirúrgico.

Pode ter vários componentes:

  • Cúpula aplicada no acetábulo (osso ilíaco)
  • "Insert" no interior da cúpula acetabular
  • Cabeça femural colocada no topo da haste
  • Haste femural que é introduzida no canal femural
artroplastia total da anca

 

A artroplastia total da anca pode ser cimentada, não cimentada ou híbrida (combinação de componentes cimentados e não cimentados). Nas próteses cimentadas, o cimento (Polimetilmetacrilato - PMMA) fixa o implante ao osso. Nas próteses não cimentadas a superfície das próteses é texturada ou apresenta um revestimento que permite que o osso se fixe aos implantes.

Está cirurgia apresenta elevadas taxas de sucesso no alívio da dor e na melhoria da mobilidade.

A longo prazo podem existir problemas de desgaste e libertação de partículas de desgaste, comprometendo o funcionamento e a fixação da prótese.

Revisão de artroplastia da anca

Devido ao número crescente de artroplastias realizadas e pelo facto de se realizarem em doentes mais novos, as cirurgias para revisão de artroplastia são cada vez mais frequentes.
Estas são cirurgias muito mais exigentes e associadas a maiores riscos.

Falência da artroplastia da anca bilateral Revisão da artroplastia da anca bilateral

As indicações para a cirurgia de revisão são várias (descolamento dos componentes, desgaste ou fractura dos implantes, infecção, osteólise progressiva, fractura periprotésica, luxação, entre outras).

Pode ser efectuada a substituição isolada do componente acetabular ou femoral, ou a revisão de ambos os componentes.

Falência de artroplastia por fractura do acetábulo Osteossíntese do acetábulo e revisão da artroplastia

 

Luxação cirúrgica da anca

Esta técnica cirúrgica permite a luxação da anca (“desencaixar a cabeça femoral do acetábulo”) e uma exposição alargada da articulação, preservando a vasculariação da cabeça femoral.
Esta abordagem é versátil e permite tratar lesões com localização posterior ou que sejam de difícil acesso por artroscopia.

É efectuada uma osteotomia (“corte ósseo”) do grande trôcanter para aceder e corrigir a articulação. No final, o grande trôcanter é fixado com parafusos. No pós-operatório é necessário proteger o membro, nomeadamente de carga.

Conflito femoro acetábular tipo pincer Rx pós operatório - Conflito tipo pincer à esquerda